Chico Rezende

533530449_1280x720O canal Chico Rezende, criado em 17 de Abril de 2006, é classificado como comédia em suas descrições. Quem protagoniza os vídeos é o próprio Chico, que faz as postagens normalmente toda Segunda e Sexta-Feira às 11h. O canal conta com dois tipos de vídeos: os esquetes e os chamados “Chico Responde”, sendo que na maioria das vezes o segundo tem maior duração.

Observando a partir dos elementos estéticos do Plano da Expressão, percebeu-se uma variedade de recursos que constroem o canal. Os vídeos não começam com uma vinheta, mas geralmente, no início são mostradas as redes sociais de Chico na parte inferior da tela. Durante a emissão, em alguns momentos “fora do roteiro”, é usada a tela em preto e branco, o que traz uma sensação de estarmos vendo os bastidores. No encerramento aparece uma tela preta com o nome do canal em grandes letras brancas. Depois, como forma de propaganda social, aparece um vídeo de poucos segundos que mostra um cachorro de rua olhando para a câmera e a inscrição “Adote um vira lata” cobrindo a imagem.

Falando sobre os aspectos sonoros, os vídeos de perguntas contam com a voz em off de Gabriel, um amigo de Chico, que algumas vezes lê as perguntas da internet e faz comentários.

Como é comum em vários canais, este também contém links fixados para vídeos antigos ou para os canais de convidados. O diferencial encontrado é o momento “Chico recomenda”, que é quando o apresentador dá uma dica de livro, vídeo ou filme e deixa um link que redireciona o espectador para o seu outro canal.

Falando sobre o Plano do Conteúdo, o indicador ampliação do horizonte do público obteve uma variedade de classificações, sendo que alguns vídeos, ele não esteve presente. A emissão “Você acredita em ETs!?”, de 11 de setembro de 2015, foi avaliada como muito boa nesse quesito. A discussão é sobre a existência de vida em outros planetas e Chico Rezende argumenta a favor dessa hipótese; ele diz que o ser humano pensa baseado na sua ignorância e não considera a possibilidade de haver vida fora da Terra se não for nas mesmas condições que existem aqui – um contra argumento para quem fala que a inexistência de água gera inexistência de seres em outros planetas. Para reforçar sua opinião ele dá dica de um livro, mostra uma tirinha e dá exemplos relacionados ao assunto, que trazem um potencial para reflexão. Os recursos utilizados ajudam o espectador a pensar e talvez até formar uma opinião.

Além disso, a mesma emissão ao fazer uma citação sobre o filme Matrix mostra a cena simultaneamente na parte inferior da tela, apresentando ao público que não conhece, do que se trata. Isso contribui para a ampliação, mesmo que pequena, do repertório do espectador.

A maioria das avaliações do indicador diversidade de sujeitos representados foi fraca ou não constou. Isso aconteceu porque quem protagonizava o vídeo era o próprio Chico Rezende. As avaliações que não foram nulas se deram por alguma participação de espectadores, que mesmo não dando uma opinião direta, contribuíam para a construção do vídeo. Os dois episódios que obtiveram avaliação razoável foram os de 2 e 25 de Setembro de 2015, que contaram com a participação de Sangerine; ela opinava e ajudava a responder as questões trazidas pelos internautas.

A desconstrução de estereótipos não constou em sete das dez emissões analisadas. Os episódios com classificação razoável foram “Opinião sobre tudo” e “Apocalipse zumbi com a Sangerine”. O primeiro recebeu essa análise pois é um esquete em que Chico faz um questionamento sobre o hábito criado nas redes sociais em que todo as pessoas precisam ter uma opinião formada sobre os assuntos do momento. No vídeo ele assume que não sabe sobre certos temas e trata isso com normalidade. Já o segundo apresentou uma quebra do senso comum que diz que mulheres precisam se encantar com bebês. Chico mostra duas vezes à Sangerine um vídeo das crianças rindo – ele gosta muito – mas ela permanece indiferente, diz que não se importa com esse tipo de coisa.

Porém, um dos vídeos em que não constou essa desconstrução foi no dia 4 de setembro de 2015. Nele algum internauta faz uma pergunta sobre o último livro lido por Chico. Ele diz que é um livro de crônicas sobre a pornografia escrito por uma atriz desse tipo de filme.  Enquanto ele fala sobre o livro, permanece na tela uma foto sensual da mulher de lingerie, tornando seu corpo ainda mais sexualizado. A voz em off comenta que ela é uma “excelente profissional” em tom irônico e Chico concorda. A situação foi considerada um reforço velado da imagem comumente associada à atriz de filmes adultos.

O indicador oportunidade foi muito bem avaliado somente em duas emissões, sendo que nas outras se dividiu entre razoável e fraco. No vídeo “Masterchef na vida real” a oportunidade do tema foi muito boa, uma vez que se aproximava a final deste reality show de culinária que estava sendo muito falado na época, principalmente nas redes sociais. O vídeo trouxe a presença de uma finalista, o que poderia atrair ainda mais os espectadores.

Outro vídeo que ganhou avaliação muito boa foi “Opinião sobre tudo”. A temática abordada é bem atual e faz parte do cotidiano de quem está conectado às redes sociais. Chico começa falando que na semana anterior ao vídeo aconteceram duas coisas marcantes: a alta do dólar, um recorde histórico – ficou acima de R$ 4,00 – e o Rock in Rio. Ele diz que não entende de economia nem de música, mas sente que as pessoas já deviam estar falando mal dele porque todo mundo postava sobre isso menos ele, que inclusive foi ao festival citado. Chico expõe criticamente a urgência atual de que todo mundo tem que ter uma opinião sobre todos os assuntos, mas que às vezes ele mesmo não tem opinião sobre certas coisas. É citada uma situação engraçada em que um amigo dele postou um texto sobre o aumento do preço do dólar mas não sabia falar do mesmo tema na “vida real”. Isso indica uma crítica sobre o que ele chama de “intelectuais e comentaristas” de Facebook, ou seja, não é todo mundo que opina que realmente sabe o que está falando. Nas emissões em que a oportunidade foi considerada fraca, o motivo foi que mesmo sem a abordagem de assuntos que são pauta, estes faziam parte do cotidiano da maioria das pessoas.

A seguir, os indicadores de qualidade do plano do conteúdo com as respectivas avaliações:

cr1

A seguir a análise da Mensagem Audiovisual, que obteve altas classificações. A clareza da proposta foi um dos indicadores mais bem avaliados, todas as emissões foram consideradas muito boas. Isso aconteceu porque no próprio nome do vídeo era designado o que aconteceria, sendo que havia uma diferenciação entre os vídeos temáticos e os de perguntas e respostas. No decorrer da emissão o assunto principal era abordado e os formatos utilizados – esquetes mescladas com opinião e seleção de questões do público – contribuíram para que o desenvolvimento fosse satisfatório.

Outro indicador notório foi o diálogo com/entre outras plataformas, que obteve todas as avaliações muito boas. Isso aconteceu principalmente porque todos os vídeos exibiam os contatos de Chico em diversas redes sociais. Além disso, dentre as emissões foi vista uma propaganda do canal de filmes Megapix (30 de Setembro), citações ao festival Rock in Rio (18 e 28 de Setembro), indicação de série da Netflix e conversas sobre o mundo da Disney (25 de Setembro), dentre outros exemplos.

A solicitação da participação ativa do público foi muito bem avaliada, principalmente porque a plataforma é favorável nesse sentido. Sempre é pedida a opinião e interação do público por meio de comentários no próprio vídeo no YouTube. Em “Coisas que odeio no vídeo game”, por exemplo, Chico conta sobre seu amigo que sempre ganha os jogos e fica “contando vantagem” por isso. Uma situação cotidiana, que pode gerar identificação com quem também joga. Ao final ele pede que enviem dicas com comentários na publicação. Além disso, por meio dos contatos das redes sociais divulgados, os espectadores têm a oportunidade de enviar perguntas e sugestões para próximos vídeos. Com isso, mesmo que os assuntos escolhidos não sejam pautas midiáticas e sociais, não se pode negar que fazem parte de conversas do cotidiano.

O indicador originalidade/criatividade foi o único que apresentou variações dentro da mensagem audiovisual. Os vídeos no esquema de perguntas e respostas, por serem extremamente comuns no YouTube, foram avaliados como fracos, pois não era um formato novo. Entretanto, as emissões temáticas que faziam um misto de esquete e opinião, foram tidas como boas pela inovação na forma de apresentar o que era desejado. Em “Crianças + Tecnologia”, por exemplo, Chico faz um vídeo que une a sua fala sobre o assunto no cenário habitual, com imagens para ilustrar o tema – cenas em que ele interage com uma tia e uma prima criança que tem uma boa relação com o computador.

Abaixo, temos os indicadores de qualidade da mensagem audiovisual com as respectivas avaliações:

cr2

Falando sobre os modos de representação percebe-se que a atuação de Chico Rezende nos vídeos se dá, na maioria do tempo, de forma natural, ou seja, ele mostra sua própria personalidade.  Não houve uma expressiva desconstrução de estereótipos, mas os episódios possuíam uma visão crítica de temas que fazem parte do cotidiano das pessoas.

Em relação à experimentação pode-se dizer que esta foi pouco percebida. Em geral, as propostas do canal eram reciclagem de formatos já consolidados, como o esquema de perguntas e respostas. Porém, nos vídeos temáticos é utilizada a estratégia de unir o esquete com a opinião do apresentador, o que tornou a linguagem audiovisual mais criativa. Mesmo não sendo novidade o estilo de vídeo “Chico Responde”, o recurso nele utilizado contribui para a participação do público na construção da narrativa. Essa interação poderia ser melhor aproveitada no sentido de promover a diversidade e o debate de ideias, porém existe uma seleção das perguntas de acordo com os critérios de Chico; isto, junto com seu protagonismo no programa, tornam o recurso pouco eficaz.

 Por Letícia Silva

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>