De volta pra pista

de01.mp4_snapshot_00.16_[2017.11.02_10.33.03]

  • Direção: Pedro Amorim
  • Elenco: Daniele Valente, Cris Flores, Isabella Dionisio, Felipe Severo, Julia Oristanio, Lucas Salles, Raphael Ghanem e Antônio Fragoso
  • Período de exibição: 18/10/2013 – 18/12/2013
  • Horário: 22h30
  • Nº de episódios: 13

De volta pra pista é uma série exibida pelo canal por assinatura Multishow e co-produzida pela Migdal Filmes e RioFilme, com leis de incentivo ao audiovisual. Inspirada nos textos da cronista Tati Bernardi, a narrativa de treze episódios contou com direção de Pedro Amorim e Daniele Valente como a protagonista Silvia.

Mulher de 35 anos, recém-separada e mãe, Silvia dedicou anos de sua vida ao casamento e à vida familiar. Um ano após seu rompimento com Cabral (Antônio Fragoso), percebe que não é fácil “voltar pra pista”. Com a ajuda e insistência de sua assistente Lica (Isabella Dionisio), uma jovem de 20 anos baladeira e antenada com as atualidades, Silvia começa a frequentar as noites cariocas e a conhecer os mais variados tipos de homens. As furadas e os sucessos destes relacionamentos fugazes se tornam a tônica de cada episódio da história.

No Plano da Expressão desta análise iremos destacar os indicadores: ambientação, caracterização dos personagens, trilha sonora, fotografia e edição. A ambientação de De volta pra pista é a cidade do Rio de Janeiro, principalmente sua face noturna. As filas de balada, as danceterias com suas luzes piscantes, os barzinhos lotados e repletos de burburinho e gritaria fazem contraponto com a espaçosa e silenciosa casa de Silvia onde ela se recolheu durante um ano de luto pelo término de seu relacionamento. Os cenários que Silvia percorre também dialogam com a personalidade dos homens com os quais se relaciona. Por exemplo, ao conhecer com um colega de faculdade de Lica, ela acaba indo para a casa dos pais dele, fazendo uma relação com os novos jovens que não deixam a casa dos pais. Já numa outra ocasião, ao se relacionar com um cliente da sua empresa, o cenário das conversas se passa num restaurante refinado, contrapondo a maturidade entre os dois rapazes.

de13.mp4_snapshot_14.45_[2017.11.02_10.41.42] de01.mp4_snapshot_07.55_[2017.11.02_10.40.35]

A caracterização dos personagens, por se tratar de uma narrativa episódica, se baseia em estereótipos para minimizar o esforço analítico do telespectador. A protagonista Silvia, dentro de casa e em seu home-office veste roupas sóbrias em tons pastéis e pouca maquiagem. Já nas noites cariocas, utiliza roupas de cores provocantes, decotes e acessórios. Lica, a assistente jovem, tem um look moderno com óculos grandes, roupas com logomarcas de banda, calças e saias. Os homens com os quais Silvia se relaciona também têm sua personalidade explicitada em estereótipos físicos, como o jovem “largado” de camisa de cores fortes, bermuda e chinelos.

de01.mp4_snapshot_07.30_[2017.11.02_10.43.19]

A trilha sonora da série é diversa, variando de episódio para episódio e se relaciona ao ambiente ou situação em que a cena acontece. Por exemplo, no episódio intitulado “Boteco”, Silvia ouve “Oh happy day” (Edwin Hawkins) em casa e, no quarto de Rafa (Luca Bensiman) toca “Candy shop” (50 Cent). Em outra ocasião, lembrando do ex-marido, Silvia coloca no som “Essa tal liberdade” (Só Pra Contrariar).

Já o indicador fotografia não tem interferência ou relaciona-se com as situações da narrativa. Segue o padrão naturalista utilizado também por outras séries do canal como Acerto de contas e A segunda vez.

A edição de De volta pra pista é linear e, apesar de haverem reflexões do antigo relacionamento de Silvia, não contou, nos episódios analisados, com estratégias de flashback. Quanto à abertura, é uma animação das fases da vida de Silvia, já os créditos da série contam com cenas de erros de gravação.

de13.mp4_snapshot_23.07_[2017.11.02_10.44.38]

No Plano do Conteúdo, analisamos os seguintes indicadores: intertextualidade, escassez de setas chamativas, efeitos especiais narrativos e recursos de storytelling.

O indicador intertextualidade aparece em momentos pontuais de De volta pra pista. Como, por exemplo, temos as citações da boneca Barbie em referência a sua estética jovem e bela a brincadeira com o nome do pretendente “Alfredo”, o qual Lica relaciona com o garoto-propaganda de mesmo nome do comercial dos anos 90 do papel higiênico Neve.

Já o indicador escassez de setas chamativas não é contemplado pela narrativa. A abertura da série já faz a situação do telespectador na série numa animação de vinte segundos em desenho da personagem Silvia entre as fases de juventude, gravidez, casamento, separação, coração partido, depressão, volta por cima e amigos. Além disso, vários cartazes narrativos ajudam o telespectador a entender o que se passa na trama como, por exemplo, quanto a protagonista pede ajuda a Lica sobre um encontro ou pretendente, fazendo assim, uma recapitulação de tudo que aconteceu entre os dois até ali e possíveis passos futuros.

de07.mp4_snapshot_00.07_[2017.11.02_10.45.57]

Os dois últimos indicadores, efeitos especiais narrativos e recursos de storytelling, novamente não foram observados na trama. Apesar de cada episódio ter clímax e reviravoltas, a série apenas acompanha a perspectiva da protagonista, não buscando surpreender o telespectador de forma que ele seja obrigado a reconsiderar tudo o que foi visto.

Por Léo Lima

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>