Observatório da Qualidade no Audiovisual

Fanfics Brasil

A cultura da convergência propicia novas possibilidades para as práticas críticas e criativas dos fandoms. No âmbito da fanfic, Jaminson (2017, p. 18) destaca que os fãs sempre estiveram na vanguarda de diversos desdobramentos, “a fan culture estava à frente de todos os empreendimentos comerciais ao usar a internet como um espaço criativo para a produção, distribuição e promoção da escrita”. De modo geral, as fanfics surgem a partir do consumo crítico dos fãs ao notar a carência do desdobramento de plots, explorar personagens e relacionamentos ou ainda subverter a narrativa e realidade de determinada obra. (JAMINSON, 2017). Todo este processo demanda a criação de plataformas digitais responsáveis por coletar, hospedar e criar inter-relações entre e para todos desse círculo (leitores e escritores). Dentro desses ambientes online os leitores e escritores assumem papéis variados e ativos.
Neste contexto,é necessário a compreensão do modo como essas plataformas auxiliam na capacidade de criar, criticar e expressar as fanfictions. Além disso, é possível ainda observar e destacar como essas redes proporcionam meios de explorar as novas formas de contar uma história e estabelecer as relações entre os fãs que integram esse ambiente midiático e movimentam a fan culture.
O site Fanfics Brasil surge como uma dessas plataformas, de âmbito nacional, para a produção, desenvolvimento e distribuição das fanfics. A rede foi criada em 2007 por Ricardo Barros, que define o site como “uma rede social que disponibiliza espaço para que os usuários e leitores possam publicar, ler e difundir as suas histórias, sejam elas baseadas em ficção ou não” (LINKEDIN, Online). A proposta de Ricardo Bastos é de criar um espaço voltado para quem gosta de ler e escrever poder interagir entre si e divulgar suas fanfics e/ou webnovelas. Destaca-se a necessidade do fandom e de comunidades de fãs, um espaço de interação de nichos.
O site surgiu quando as comunidades de webnovelas da extinta rede social Orkut não atendia as demandas e tornavam os conteúdos difusos demais. Por tanto, o site se popularizou pelas presenças de webnovelas inspiradas na telenovela mexicana Rebeldes e se expandiu para narrativas de fãs de animes, personalidades famosas, séries, entre outras. Jenkins (2014, p. 56) afirma que os grupos de fãs “[…] têm sido inovadores no uso de plataformas participativas para organizar e responder a textos de mídias”. Dessa forma, os fãs e as fanfictions, especificamente, reagem e ajudam a causar “[…] mudanças bastante específicas em tecnologia e cultura, e faz isso de forma mais rápida, ágil e radical do que qualquer um que se beneficia do status quo comercial seria capaz de fazer” (JAMINSON, 2017, p.56). Isso se deve porque, no âmbito da cultura de fãs, em especial as fanfictions, são motivados pela diversão e pela vontade de integrar e criar argumentos baseados em suas ‘leituras’ (JAMINSON, 2017). Nesta prática, pelo menos num primeiro momento, não há uma hierarquia de quem possibilita, produz e/ou consome. Em outras palavras, é um círculo em que todos estão envolvidos e contribuem com seus conhecimentos, habilidades e engajamento. Essa colaboração não se trata apenas da criação de fanfics, mas também das próprias plataformas e quais necessidades elas podem atender conforme a demanda de criação e distribuição (JENKINS, 2012; BORGES et al., 2017; HERRERO-DIZ,2017; SIGILIANO; BORGES, 2018).
A primeira versão da plataforma Fanfics Brasil apresentava um layout em vermelho e reunia, em sua arquitetura informacional, links, abas e informações objetivas referentes às interações presentes no site. São elas: Top 10 das fanfics mais acessadas, dados de acesso e uso da plataforma, últimos comentários postados no site, parcerias com fã sites (em especial de telenovelas e seriados) e os ads, que eram responsáveis por manter o site no ar com domínio próprio.

O site não fornece muitas informações sobre a plataforma enquanto empresa ou comunidade dos fãs como, por exemplo, membros fundadores, equipe que contribuem para a manutenção do site, moderadores, administradores e etc. Dessa forma, podemos afirmar que a plataforma estimula a criação, produção e partilha e consumo crítico de narrativas na plataforma, estabelecendo um diálogo direto com a transmedia literacy.
Atualmente o site apresenta um layout renovado e otimizado, facilitando o processo de informações e localização de links e categorizações para usuários e membros da plataforma. O Fanfics Brasil ainda conta com um cabeçalho com as opções de login, cadastro, busca e outras abas.

Página inicial do site Fanfics Brasil (Acesso: 27/10/2019)

Observa-se que o layout manteve a disposição de informações, embora seja mais fácil de visualizá-las e encontrá-las na página. As abas se concentram em ícones e seguem na ordem: Home, Categorias, Ranking (geral e mensal), Blog, F.A.Q. perguntas e respostas mais frequentes e, por fim, Contato.
Nas capacidades descritas por Scolari (2018) na transmedia literacy, encontra-se na dimensão narrativa e estética a habilidade de reconhecer e descrever, presente na forma como os fãs categorizam as narrativas. No site, essa característica está presente na aba “Categorias” e como os fãs reconhecem e categorizam os gêneros narrativos.

Figura  – Lista de categorias e gêneros narrativos das fanfics disponíveis no site (Acessos: 27/10/2019)

Reforçado por diversos autores, a comunidade dos fãs, em específico das fanfics, é um espaço de constante colaboração (JENKINS, 2006; SCOLARI, 2015; JAMINSON, 2018). Analisando o site, é possível perceber que essas contribuições estão para além da produção, consumo e manutenção de tramas e narrativas, elas se estendem na manutenção dessas próprias redes e plataformas de interações dos fãs. Após um período com pouca movimentação e inovação, o Fanfics Brasil ressurgiu em 2018 prometendo novidades. No início de 2019, a comunidade lançou uma campanha pelo site Vakinha, que conseguiu garantir um total de 106% da meta. O dinheiro teria como objetivo a manutenção do site no ar. Esse engajamento dialoga com a dimensão narrativa e estética, especificamente na habilidade Aplicar, ao colaborar e participar nas redes sociais . Essa habilidade não se limita apenas nessa ação, disposto no espaço “Categorias”, o site Fanfics Brasil reúne usuários que contribuem para a criação estética da história de outros usuários, possibilitando a encomenda de capas.

 Usuários que aceitam encomendas para criação de capas para fanfics de terceiros (Acesso: 27/10/2019)

As seções de Ranking, Buscar e Recentes demonstram a habilidade de Comparar, descrita por Scolari (2018), na qual o público tem a capacidade de qualificar, avaliar e ainda distinguir gêneros narrativos e escolher conteúdos midiáticos. Todos esses critérios estão ligados a modalidade Avaliando, analisada por Scolari (2018, p.82) na qual “[…] adquire ou aperfeiçoa uma capacidade examinando o seu próprio trabalho ou o trabalho de terceiros ou, ainda, tendo outras pessoas a examinarem o seu trabalho”.
As abas referentes ao F.A.Q. e Contato, demonstram a capacidade do público de se organizar-se enquanto comunidade, principalmente, considerando o funcionamento do site e de suas estruturas operacionais. Enquanto os comentários, isto é, a caixa de texto encontrada no final dos capítulos de cada Fanfic, se relacionam com a capacidade de comunicação para interpretar e considerar elementos canônicos, discussões e interações entre os membros e usuários (JENKINS, 2014; SCOLARI, 2016; JAMINSON, 2017).

Perguntas e Respostas disponível no FAQ (Acesso: 27/10/2019)

 Últimos comentários publicados no site Fanfics Brasil (Acesso: 27/10/2019)

Apesar de terem pouco engajamento, o site Fanfics Brasil ainda conta com perfis em três redes sociais são elas uma página no Facebook, com 5.646 curtidas e postagens referentes às atualizações do site e do blog, o Twitter, com 3.053 seguidores e possui tweets recentes relatando atualizações de fics e, por fim, o YouTube, com apenas 36 inscritos e com a publicação de um vídeo apresentando as funcionalidades do site (o vídeo foi postado há 6 anos).

Twitter do site Fanfics Brasil (Acesso: 27/10/2019)

Página do Facebook do site Fanfics Brasil (Acesso: 27/10/2019)

Por fim, fora as redes sociais, o site se estende para mais uma funcionalidade e plataforma de interação, o blog. Nele são postados artigos que reúnem dicas de divulgações, formas de utilizar o site em versão mobile, as fanfics mais movimentadas e relatos sobre fanfics — se distanciando um pouco da forma como são utilizadas as redes sociais. Essa extensão implica diretamente na habilidade Aplicar, com tutoriais das funções dispostas na plataforma e ao gerir a partilha e disseminação de conteúdos, apresentada na dimensão narrativa e estética proposta por Scolari (2018).

Blog do Fanfics Brasil (Acesso: 27/10/2019)

Por Lucas Vieira

Referências:

JAMISON, A. Fic – Por que a fanfiction está dominando o mundo. São Paulo: Rocco, 2017.

JENKINS, H. Cultura da conexão. 1. Ed. São Paulo: Aleph, 2015.

JENKINS, H et al . Cultura da convergência. 2. Ed. São Paulo: Aleph, 2008.

JENKINS, H. Lendo criticamente e lendo criativamente. In Matrizes, v.9, n.1, p. 11-24, 2012.

SCOLARI, C. Literacia transmedia na nova ecologia mediática – Livro Branco. Barcelona: Europen Union Funding for Research & Innovasion, 2018.

SCOLARI,C.. Narrativas transmídias: consumidores implícitos, mundos narrativos e branding na produção da mídia contemporânea. In International Journal of Communication, n.3, p. 586-606, 2009.

SIGILIANO, D; BORGES, G. A competência midiática na produção dos fãs de
ficção seriada: uma análise do Legendas.TV. Anais… ComuniCon: congresso internacional comunicação e consumo,2018.

Observatório da Qualidade no Audiovisual

Comentar

Apoio

Parceiros