Observatório da Qualidade no Audiovisual

Para Sempre

Para Sempre é uma fanfic publicada no site Spirit e escrita pelo usuário limanthalover. A fanfic é uma releitura do universo da 25ª temporada da telenovela brasileira Malhação, Viva a Diferença (2017-2018, TV Globo). A autora se apropria das personagens e de alguns arcos narrativos estabelecidos na novela, introduzindo um cenário e trama principal em cima da inspiração de um livro que estava lendo, At Seventeen (2013) de Garri Hills.

Como foco principal, a história gira ao redor de Lica (Manoela Alipert) e Samantha (Giovanna Grigio), casal que se popularizou durante a atração televisiva. A narrativa segue em terceira pessoa e, a primeiro momento, temos Samantha como protagonista. A sinopse disponibilizada pela autora nos entrega a base em que a história reimaginada se constrói:

“Lica e Samantha se conheceram quando tinham dez anos. Lica, filha de pais ricos, e Samantha, a filha de sua empregada doméstica, se tornaram grandes amigas, mas ambas sabiam seus lugares na vida. Nunca houve dúvida alguma de que se tornariam mais do que amigas, mas amantes; assim como também nunca houve dúvida de que Lica se casaria e manteria sua posição social perante a comunidade. ”

Cena de Limantha em Malhação – Viva a Diferença ilustra capa da fanfic Para Sempre.
Abaixo estão a faixa indicativa e o aviso de direitos autorais.

A trama produzida pela fã é classificada com os gêneros: FemmeSlash, LGBT, literatura feminina, romance e novela e yuri (lésbica) e aviso de adultério, álcool, bissexualidade, homossexualidade, insinuação de sexo, linguagem imprópria, nudez, sexo e violência, sendo, portanto, classificada como proibida para menores de 18 anos.
A capa da fanfic é uma cena da novela em que Samantha e Lica se abraçam, sem títulos, edições ou um tamanho padronizado da imagem. A história começou a ser postada no dia 09/01/2018, possui 25 capítulos e consta como não terminada. Apesar disso, sua última atualização data 30/11/2018 (momento em que Malhação – Viva a Diferença já havia terminado de ser exibida). Segundo as métricas do site, a fanfic contabiliza 38.505 visualizações e 537 comentários.

Dados do perfil da autora no site Spirit

Nota-se que a conta da autora no site Spirit é parte do fandom do casal Limantha, sendo Para Sempre a única história publicada pela autora e a imagem do perfil é uma foto da Manoela Aliperti, atriz que interpreta Lica. Vale destacar que o perfil foi criado no mesmo dia em que sua única história começou a ser postada. Na aba “Favoritos” do user limanthalover encontra-se a fic  , que também se trata de uma releitura de Malhação — Viva a Diferença, tendo como protagonista o casal Limantha. Nota-se que Wonderwall foi postada em uma data anterior à Para Sempre e possui os mesmos gêneros que a história de limanthalover.

Fanfiction Wonderwall favoritada pelo user limanthalover

As fanfics são histórias que confrontam o limite do canônico, isto é, não fazem parte de uma extensão oficial da história (JAMISON, 2017). Essas narrativas são criadas por fãs e podem ser complementares ao universo canônico ou uma releitura sobre elas e, ainda, criações originais inseridas nesse universo fictício (JAMISON, 2017). Grossman (p. 12, 2013) afirma que esse “gênero” narrativo da fanfiction

Não se trata simplesmente de produzir mais e mais interações de personagens e mundos existentes, ou melhor, não se trata só disso. Ela existe para fazer coisas com estes personagens e mundos existentes que seus criadores não conseguiram ou quiseram fazer.

As fanfics vão além da admiração passiva sobre narrativas, personagens, símbolos ou construção de universo, elas são expressões ativas, críticas e criativas em cima dessa admiração (JENKINS, 2012). O fenômeno das fanfics não acontece apenas pela inovação tecnológica, mas também por um fenômeno social motivado, mais comumente, pelo afeto entre o fã e o produto. Logo, esse fenômeno da criação por fãs surge bem antes da Web 2.0, sendo exemplos disso a reimaginação do romance Jane Eyre de Charlotte Bronté, Wide Sargasso Sea (1966) escrita por Jean Rhys; a releitura da peça de Hamlet como uma espécie de spin-off, a peça Rosencrantz and Guildenstern Are Dead (1990), de Tom Stoppard, e, ainda, o exemplo mais próximo do universo das fanfictions, os zines mimeografados de Jornada nas estrelas (1966) (JAMISON, 2017).

Jenkins (2008) considera que a cultura participativa vai ao encontro aos fandons, na qual os fãs, produtores de conteúdos culturais, se adequam aos conceitos, personagens e toda construção do universo sem se preocuparem com os direitos autorais. É nesses produtos derivados que encontra-se as fanfics. O papel desses escritores e fãs na Web 2.0 cria uma expansão fugaz e muitas vezes líquidas dessas narrativas, onde o consumidor, e agora produtor de conteúdo, se apropria também dessas novas formas de linguagens para complementar suas narrativas, seja através da intertextualidade, hiperlinks e um ativismo nas redes sociais em prol dessa afetividade dos fãs.

Quando se analisa as dimensões da competência midiática (FERRÉS; PISCITELLI, 2015) que estão em operação nesta prática da cultura de fãs, é possível observar não apenas as capacidades relacionadas à linguagem e a estética, mas também a de valores e ideologias. Através dessa percepção, esses conteúdos de fãs são, não apenas produções criativas — criação de tramas para personagens não explorados ou expansão de uma trama já existente, por exemplo —, mas expressões críticas, seja da narrativa ficcional — quando fãs criam fanfics aproveitando de furos ou planos da narrativa não explorados no universo canônico — ou ainda de valores sociais.

Em Para Sempre, limanthalover reimagina não apenas a história do casal Limantha, mas reinsere as personagens da novela em papéis e interações diferentes, aproveitando-se da trama já criada na televisão, reinventando origens, trajetórias e possibilidades. Na história Lica vive em uma mansão com os pais, a família da garota faz parte da alta sociedade da cidade do interior de São Paulo, enquanto que Samantha é filha da empregada doméstica da família e se muda junto com a mãe para a mansão dos Gutierrez. Nessa nova narrativa, os papéis dos personagens também são ressignificados, Ellen (Heslaine Vieira) é uma amiga de Samantha do ensino médio, Clara (Isabella Scherer) é uma ex-companheira de Samantha, enquanto que Tina (Ana Hiraki) e Keyla (Gabriela Medvedovski) são amizades que a protagonista faz em um período após a conclusão da personagem na história.

A trama acompanha duas narrativas paralelas, uma acontece no presente, quando Samantha, aos 30 anos, mora no Rio de Janeiro e possui diversas lojas de produtos orgânicos. Nesse momento a protagonista evita a todo custo voltar para a cidade natal, até mesmo para ver sua mãe. A outra linha narrativa é contada através de flashbacks e conta como as duas meninas se conheceram ainda quando eram crianças e como surgiu esse romance entre as duas até o momento em que cada uma segue com sua própria vida.

A história se inicia com Samantha reunida com suas amigas no apartamento que Tina divide com Keyla em São Paulo. Na ocasião, as amigas preparam uma refeição e surge o assunto sobre os relacionamentos de Samantha, momento no qual começa a contar sua história com Lica — personagem que, diferente da novela, não faz parte desse círculo de amigas. A fic se baseia ainda na narrativa do livro de romance lésbico At Seventeen, que possui a sinopse:

Madison Lansford e Shannon Fletcher se conheceram quando tinham 10 anos de idade. Madison é filha de pais ricos, enquanto que Shannon é filha da empregada doméstica e cozinheira dos Lansford. As duas garotas se tornaram amigas rapidamente, mas ambas sabiam seus lugares na vida. Nunca houve dúvida que se tornariam amantes… assim como não havia dúvida de que Madison se casaria e manteria sua posição social na comunidade. Pouco a pouco, elas se separaram e o caso de amor terminou com o casamento e a gravidez de Madison.

Agora, anos depois, Shannon retorna à sua antiga cidade natal para cuidar de sua mãe doente. Poderia Madison e Shannon reconstruir sua amizade? Ou será que a recém-descoberta proximidade trará de volta memórias de seu amor há muito tempo perdido? Viaje ao longo dos anos com Shannon e Madison e veja o amor delas se desenrolar ao passar de adolescentes para mulheres jovens e, então, para a idade adulta.

(tradução não oficial da sinopse do livro).

Jenkins (2012) estabelece cinco principais motivações nos fãs para a fanfiction, dentre esses elementos, se destacam como fontes inspiradoras na fic Para Sempre: contradições e potenciais, enquanto fanfic de Malhação, e, ainda sementes, enquanto uma releitura do livro de Garri Hill.

A contradição acontece quando há mais de um elemento na narrativa que sugere uma possibilidade alternativa ao universo originalmente pré-estabelecido. Na história de limanthalover isso acontece quando ela insere as personagens da novela na narrativa de At Seventeen e estabelece novas regras de como esse mundo fictício rege e como acontecem as interações entre os personagens. Ignora-se quase completamente a história original, usando-a apenas como um pilar para o seguimento da proposta reimaginada da autora. O potencial são as projeções do que poderia ter acontecido além dos limites da narrativa original, e essa motivação é explorada na relação emocional e sexual entre as personagens — tendo que considerar, entretanto, que parte do conflito emocional se estrutura pela nova narrativa, e não pela história preestabelecida na telenovela. Afinal, é a partir da novela que conhecemos as personagens e sabemos como elas interagem e suas personalidades.

Já a semente é a intervenção do fã para desenvolver uma lacuna não explorada na história original. Em Para Sempre isso acontece quando, se aproveitando das personagens já existentes de Malhação e das relações com o universo, a autora utiliza-os para seguir a estrutura narrativa e os conflitos que o livro At Seventeen propõe. Essa mescla de conflitos e personagens possibilita que lacunas sejam desenvolvidas e exploradas de diferentes formas.

As fanfics não são somente um entretenimento, ativismo ou ainda, uma espécie de jogo e interações criadas por fãs para “fermentar” um desejo de consumo em comum de um determinado produto que vai além do que a matriz canônica propõe (JAMISON, 2017). Esta prática faz parte de uma visão criativa e crítica, onde os fãs experimentam as diversas possibilidades que aquele universo oferece.

Dimensões da Competência Midiática:

  • Linguagem

Para Sempre utiliza de uma linguagem informal para contar a história. Se caracteriza bem a um padrão observado em que as fanfics geralmente seguem, como estruturas de frases dramáticas, indicações de atos dos personagens e expressões que se desgastam pelo uso excessivo e comum e pela formalidade dessas expressões em contraste a informalidade do texto no geral.

A autora não se preocupa em nos inserir naquela realidade que já existe e acontece antes mesmo da fanfic se desenrolar, é necessário que o leitor acompanhe o ritmo da narrativa e consiga se situar. Essa complexidade não é, no entanto, uma característica negativa, ela estimula um raciocínio que, no acompanhar da história, se torna natural. A ambientação da história acontece simultaneamente aos diálogos e às ações, isso quando a ambientação não está inserida no próprio diálogo. Exemplo disso é a refeição que acontece no “presente”, no qual, através do diálogo, compreendemos a dinamicidade entre as personagens para preparar a comida.

Os primeiros capítulos exploram minimamente a realidade presente de Samantha, mas se aprofunda, através de flashbacks, do passado da garota. Essa narrativa paralela se distingue pelo uso do itálico na fonte. A autora usa desses flashbacks para simular Samantha contando a história para suas amigas Keyla e Tina.

Início do primeiro flashback presente na história, no capítulo 1.

Outra técnica bem usada pela autora é a utilização de indagações e da profissão de Tina, que na fanfic é psicóloga, para compreender possíveis furos e instigar os conflitos internos da personagem. Juntamente à Keyla, Tina também faz perguntas, mesmo que óbvias, que auxiliam a autora a continuar a narrativa através das falas de Samantha.

As duas personagens são extremamente necessárias nesses capítulos, porque constroem uma empatia com o leitor ao compartilhar dos mesmos anseios e excitações pelos acontecimentos da história passada de Limantha.

Diálogo do capítulo 8 entre Samantha, Tina e Keyla que proporcionam uma empatia com os leitores ao compartilhar de excitações sobre a história contada por Samantha.

 

  • Ideologia e Valores

Ferrés e Piscitelli (2015) definem essa dimensão como a capacidade de se apropriar de linguagens e veículos midiáticos para modificar e quebrar padrões estabelecidos socialmente. Todo discurso carrega seus valores e ideais, e com as fanfics não é diferente. Para Sempre não utiliza apenas de seu arco dramático LGBT+ para inserir discussões, representações e quebras de estereótipos ao trazer o romance Limantha e trata-lo como pilar narrativo da história. Utilizando-se da intertextualidade, a adaptação, ao mesclar as realidades tanto das personagens Samantha e Lica, de Malhação — Viva a Diferença, quanto da narrativa do livro At Seventeen, propõe uma temática que aprofunda as discussões de classes e papeis sociais. Temas como relacionamento abusivo e controlador também são tratados com o papel da mãe de Lica, que insiste em querer traçar o destino da filha, afim de impor um compromisso social em nome da família.

Diálogo no capítulo 2 expondo os conflitos das classes sociais existentes entre as duas personagens.

 

  • Estética

A dimensão da estética analisa a capacidade da expressão criativa sobre as composições da produção midiática. Quais estilos adotados pela autora e como ou se eles contribuem para a narrativa da história, e como são capazes de transmitir mensagens críticas ou criativas, potencializando a sensibilidade estética. Entretanto, é uma dimensão pouco explorada em Para Sempre. O único arquivo imagético que compõe essa produção midiática seria a capa utilizada para expor a história.

A capa da fanfic, no entanto, é apenas um recorte de uma cena da novela na qual Samantha e Lica estão abraçadas, e não são capazes de nos ambientar no conflito da narrativa, ou propor algum tipo de mensagem que possa servir como elemento complementar na intenção de motivar a leitura da história. A imagem deixada é de amadorismo — e que não foge da arte e linguagem em que o universo das fanfictions estão inseridas. Enquanto análise de uma competência midiática a estética é fundamental para composição de um discurso e, quando se trata de um produto, de sua “venda”, ou a proposta que lhe for designado (seja de incomodar, atrair ou ilustrar, por exemplo). A imagem escolhida é capaz, porém, de ilustrar o relacionamento entre as duas garotas, motivação suficiente para atrair leitores do fandom.

Por Lucas Guimarães

Referências

FERRÉS, J; PISCITELLI, A. Competência midiática: proposta articulada de dimensões e indicadores. In Lumina, v. 9, n, 1, p. 1-16, 2015. Disponível em: <https://goo.gl/3EQnc6>. Acesso em: 12 mai. 2018.

JAMISON, A. Fic – Por que a fanfiction está dominando o mundo. São Paulo: Rocco, 2017.

JENKINS, H. Lendo criticamente e lendo criativamente. In Matrizes, v.9, n.1, p. 11-24, 2012. Disponível em: < https://bit.ly/2I9TWnn>. Acesso em: 2 jan. 2018.

Observatório da Qualidade no Audiovisual

Comentar

Redes Sociais

Siga o #Observatório!