sesso de terapia

Sessão de Terapia

  •  Criado por: Hagai Levi
  • Produção: Roberto d’Avila
  • Roteiro: Jaqueline Vargas
  • Exibição: 1/10/2012 – 19/09/2014
  • Direção: Selton Mello
  • Duração: 30 minutos

A série Sessão de Terapia é uma adaptação baseada na trama israelense Be’tipul. Além da versão brasileira, a produção gerou diversos remakes internacionais, incluindo o estadunidense In Treatment da HBO. A atração, exibida pelo canal pago GNT, retrata o dia-a-dia do terapeuta Theo (Zécarlos Machado) e de seus pacientes no consultório de psicanálise. Com exibição diária, a série abordava a história de diferentes pacientes, sendo que cada dia da semana colocava determinado personagem como foco das sessões, incluindo o próprio terapeuta Theo (Zécarlos Machado).

O elenco conta com nomes como: Zécarlos Machado, Maria Fernanda Cândido, Sergio Guizé, Bianca Müller, Mariana Lima, André Frateschi, Selma Egrei, Maria Luísa Mendonça, Bianca Comparato, Luana Tanaka, entre outros.

No Plano da Expressão iremos analisar os indicadores: ambientação, caracterização dos personagens, trilha sonora, fotografia e edição.

A grande maioria dos episódios de Sessão de Terapia se passa no consultório do protagonista Theo (Zécarlos Machado). Porém, como iremos detalhar mais adiante os episódios exibidos na sexta-feira são ambientados no consultório de sua amiga e terapeuta Dora (Selma Egrei). Nesse sentido, o universo ficcional da série transita entre esses dois ambientes. Dessa forma,  a ambientação contribui para verossimilhança do programa, uma vez que a trama retrata os desdobramentos de uma sessão de terapia.

sessao2

Os figurinos utilizados na série contribuem para a construção dos personagens. Por exemplo, no caso do casal de pacientes. A caracterização de Ana (Mariana Lima) é composta por roupas sociais e vestidos sofisticados, reafirmando sua personalidade de mulher independente e bem-sucedida. Já João (André Frateschi), usa roupas despojadas, reforçando sua personalidade frágil e dependente.

sessao3

A trilha sonora de Sessão de Terapia é composta por músicas instrumentais.Cada personagem possui seu tema musical característico que é explorado apenas no final de cada episódio.A trilha sonora sútil reflete o caráter intimista da série, uma vez que os personagens apresentam seus dramas pessoais e compartilham suas angústias em um consultório psiquiátrico. Além disso, Sessão de Terapia privilegia os diálogos longos entre os personagens, o que faz com que outros elementos, como as músicas, fiquem em segundo plano na trama.

A série apresenta uma fotografia que norteada por cores escuras e tons de cinza. Além disso, a iluminação contribui para trazer um aspecto mais intimista para o consultório em que se passa a série. A fotografia é importante para a narrativa, pois estimula o telespectador a criar intimidade e empatia com a trama e com os personagens. Ou seja, se sentir parte do processo de reflexão e confissão dos pacientes de Théo e do próprio protagonista.

 sessao4 sessao5

A partir dos relatos dos personagens, Sessão de Terapia explora diversas temporalidades em seus episódios. Como, por exemplo, quando a paciente a Nina (Bianca Müller) conta para Théo (Zécarlos Machado) sobre o acidente que sofreu no passado. Além disso, a série apresenta flashbacks dos principais acontecimentos no episódio focado em Theo (Zécarlos Machado). Por apresentar outras cronologias de forma pontual, a edição da série é caracterizada como não linear.

No Plano do Conteúdo iremos destacar os seguintes indicadores: intertextualidade, escassez de setas chamativas, efeitos especiais narrativos, recursos de storytelling e transmídia literacy.

 

A série não apresenta referências do mundo externo ao universo ficcional. Portanto, o indicador intertextualidade não foi identificado em Sessão de Terapia.

O último episódio da semana que coloca o terapeuta Theo (Zécarlos Machado) como foco das sessões, faz uma recapitulação dos acontecimentos mais marcantes da semana para o analista. Desta forma, essa retrospectiva se caracteriza como uma seta chamativa para o telespectador, como uma maneira de situá-lo dos acontecimentos mais recentes. As setas chamativas também foram exploradas na estética da série a fim de indicar a temporalidade dos flashbacks. Entretanto, apesar dos indicadores visuais e dos resumos semanais, o formato da série se utiliza apenas dos diálogos para criar os desdobramentos e desenvolver seus personagens na trama. Sendo assim Sessão de Terapia estimula o esforço analítico do telespectador, uma vez que todos os arcos narrativos são desenvolvidos através dos diálogos dos pacientes. Neste caso, o indicador escassez de setas chamativas foi identificado em Sessão de Terapia.

As reviravoltas estiveram presentes no decorrer da trama da atração. Por exemplo, no episódio “Júlia – Sessão 01” da primeira temporada, a personagem Júlia (Maria Fernanda Cândido) revela que está apaixonada pelo terapeuta Theo (Zécarlos Machado). Outro momento é no episódio “Ana e João- Sessão 01” em que João (André Frateschi) questiona Theo (Zécarlos Machado) de forma agressiva se sua mulher Ana (Mariana Lima) deve ou não abortar o filho que espera e o terapeuta responde que sim. Pórém, apesar de apresentar reviravoltas em sua narrativa estas não são tão significativas a ponto de fazer o telespectador reconsiderar toda a trama até então. Portanto o indicador efeitos especiais narrativos não foi identificado em Sessão de Terapia.

No indicador recursos de stroytelling podemos observar o uso de flashbacks. O recurso narrativo é explorado no último episódio da semana em que há uma retrospectiva dos principais acontecimentos no ponto de vista do analista Theo (Zécarlos Machado). Para indicar o telespectador que se trata de flashbacks, a série utiliza setas chamativas como, por exemplo, cortes rápidos, efeitos de transição e uma fotografia diferente da habitual. Outra forma de apresentar diferentes temporalidades é por meio dos diálogos, quando, por exemplo, a personagem Júlia (Maria Fernanda Cândido) relata para Theo (Zécarlos Machado) que se relacionou com um homem na noite anterior. Porém, neste caso o recuso não é explorado visualmente, apenas textualmente.

sessao6

A série apresentou três estratégias transmídia para expandir e aprofundar seu universo ficcional. Em 2013, entre a segunda e terceira temporada, foi lançado o livro da série, criando uma conexão entre a vida particular do terapeuta e casos de pacientes da série de TV durante a primeira temporada, exibida em 2012. O livro se divide em nove capítulos que correspondem às nove semanas da primeira temporada, que teve 45 episódios, com histórias de pacientes: Júlia (Maria Fernanda Cândido) às segundas, Breno (Sergio Guizé) às terças, Nina (Bianca Muller) às quartas, João e Ana (André Frateschi e Mariana Lima) às quintas e Theo com Dora, sua supervisora, às sextas, totalizando uma temporada de nove semanas. Ao expandir o universo ficcional explorando o lado pessoal do personagem Theo (Zécarlos Machado) e seu ponto de vista sobre os casos de seus pacientes, as histórias estimulam o entendimento crítico do público.

sessao7

Outra estratégia explorada foi a criação da hashtag #SessaoDeTerapiaNoGNT, que foi utilizada para promover o engajamento do público através de comentários sobre a série. Além disso, a hashtag era utilizada pela Globosat Play e pelo canal GNT em posts relacionados a série. Também foi lançado um aplicativo para dispositivos móveis que apresentava curiosidades e trechos da trama.

Nesse sentido, as estratégias transmídias criadas pelo canal GNT dialoga com o conceito de transmídia literacy, pois incentivam o público a correlacionar contextos, gerando novas camadas interpretativas e a repercutir a trama nas redes sociais a série a partir do uso da hashtag.

Por Mariana Meyer

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>